BEM VINDO AO PASSEIO PÚBLICO DE JARAGUÁ DO SUL

Este blog foi criado para servir de instrumento de troca de informações e educação para as pessoas que buscam melhorar as condições do seu passeio público tornando-o mais agradável, transitável, seguro e inclusivo para todos.
Foi criado para a cidade de Jaraguá do Sul, SC, Brasil mas toda informação colocada aqui cremos que será útil para o país todo pois o mesmo padece profundamente de um a polícia séria neste sentido.
Esta é uma iniciativa voluntária de pessoas que estão seriamente preocupadas com o alto índice de acidentes e traumatismos causados pela má condição das calçadas e pela segregação que esta situação coloca portadores de necessidades especiais como deficientes físicos e visuais etc.
Gostaríamos que todos cidadãos dirigissem sua atenção com um olhar carinhoso para o entorno imediato de seus lares, locais de trabalho e de seus investimentos, tomando ações no sentido de achar a melhor solução para todos.
Muitas vezes estamos esperando pela sonhada reforma da casa ou a construção do imóvel para fazer isso, mas enquanto isto não acontece podemos tomar simples ações como, pelo menos, remover as lajotas soltas das calçadas, entulhos, preencher buracos, dando assim o mínimo de condições de trânsito para todos.
Se cada cidadão cuidar de sua propriedade e zelar por ela, juntos deixaremos nossas cidades um lugar melhor para todos viverem.
Pense na sua calçada como uma continuação da sua casa! Pense que você é responsável pelo que pode acontecer aos outros pela sua negligência.
Ouse conosco esta ideia e comece hoje mesmo a fazer seu mundo melhor!
Poderemos receber notificações no email: calcadajaragua@gmail.com
Também estamos no facebook:
https://www.facebook.com/pages/JARAGUÁ-CALÇADA-LEGAL/178349535554699?ref=hl

EDUCAÇÃO EM CALÇADAS PÚBLICAS

Minha foto
Jaraguá do Sul, SC, Brazil
VAMOS FAZER CALÇADAS SEGURAS, AGRADÁVEIS, DURÁVEIS E INCLUSIVAS PARA TODOS? VAMOS FAZER A NOSSA CALÇADA UMA CALÇADA LEGAL?

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

QUEM PLANTA COLHE!

Fotos de METSUL METEOROLOGIA

www.metsul.com




QUANDO CIDADE E CIDADÃOS ENTENDEM QUE O VERDE É IMPORTANTE.

Interessante notar recuos no alinhamento predial usando cobertura verde permeável ajudando assim as cidades na absorção de águas das chuvas e criando jardins de rua e um microclima agradável. Também áreas verdes valorizam o imóvel e o meio ambiente.










Quando se entende a importância da árvore e se faz um espaço para ela.


PERMEABILIDADE DO SOLO

Uma solução na Europa para ajudar a permeabilidade do solo. A faixa de estacionamento de carros tem piso permeável.






PISCINAS DE ABSORÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS NA OCUPAÇÃO DO SOLO URBANO.


Mais e mais cidades antenadas vem prestando atenção neste importante quesito, que ajuda na absorção das águas das chuvas e no controle de umidade do solo. No geral cidades vem se tornando cada vez mais impermeabilizadas com calçadas, construções e ruas. Ponto seríssimo à ser considerado nas leis que regem a ocupação do solo. É urgente dar uma atenção especial para o índice de permeabilidade dos solos. As cidades brasileiras tem desrespeitado inclusive piscinas naturais criadas pela natureza. Vejam o exemplo abaixo de estabelecimentos de porte maiores como supermercados, centros comerciais, hospitais etc...De certo porte de uso em diante, é imprescindível se prever este espaço. Calçadas em ruas onde não tem cruzamento intenso de pedestres como as residenciais e de vias estruturais nas cidade, podem ajudar muito com o uso das faixas verdes ou materiais permeáveis.

Esta foto acima de uma área anexa ao estacionamento de um supermercado.

Esta foto acima é de uma area de saúde onde também se criou piscinas naturais de captação.

Ruas ampliando seu espaço de retenção de água.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

CAPTAÇÃO DE ÁGUAS DE CHUVAS NAS CIDADES



Cada vez mais as cidades no mundo estão se tornando impermeabilizadas pela intensa taxa de ocupação do solo, asfaltamento de vias e calçadas.
Em consequência disto, mais e mais nossas cidades ficam sujeitas a inundações nas partes baixas nas chuvas.
O solo precisa estar mais aberto para absorver estas águas num todo. O sistema de captação de águas pluviais da cidade que destinam tudo aos rios, sobrecarregam os mesmos fazendo os mesmos extrapolar seus limites.
Mais e mais temos visto cidades mudaram suas taxas de ocupação do solo exigindo áreas maiores de permeabilidade do solo e desobstruindo piscinas naturais da natureza para captação destas águas. Também um trabalho intenso tem sido feito nas cidades conscientes, diminuído muitas vezes o leito das vias e criando junto dos passeios áreas de captação destas águas; principalmente nas vias estruturais mais rápidas das cidades que não se recomenda estacionamento nelas e desta forma proteje mais o pedestre o distanciando da pista movimentada. Também mais e mais se tem incentivado o uso de faixas verdes nos passeios públicos por esta mesma razão e a possibilidade de se plantar árvores de grande porte. Quer uma cidade melhor, projete passeios mais largos e verdes.







terça-feira, 11 de abril de 2017

CALÇADA LEGAL, CONSIDERAÇÕES.

O QUE SE PRECISA SABER PARA FAZER CALÇADAS.
Segue aqui um material em links sobre calçadas que havíamos deixado com o ex prefeito de Jaraguá do Sul, o ano retrasado e que pode ser útil para qualquer cidadão, engenheiro, arquiteto,administrador ou planejador urbano, que quiser saber mais sobre o assunto.
Este material é o resultado de pesquisas que cremos que realmente precisa ser feito, e que pode ser muito útil para qualquer cidade do país que ainda não tenha este aspecto organizado.
Compartilhamos também um estudo feito nos EUA sobre as calçadas de lá: Nos EUA é padrão marcar bem a faixa de serviço, da faixa de pedestres, favorecendo assim a orientação para o deficiente visual. Usa-se o concreto usinado vassourado praticamente no país todo como material de execução, pois é bom de rolar, caminhar, econômico e durável.
Agradeçemos o apoio de todos colegas e voluntários neste projeto que é dos cidadãos, da AEAJS e apoiadores da sociedade organizada.
Segue então os links que mencionamos acima:











quarta-feira, 29 de março de 2017

PARA PLANEJADORES URBANOS E EXECUTORES DE CALÇADAS PENSAREM SERIAMENTE NO ASSUNTO!


A maior parte da calçadas brasileiras são estreitas. O país não possui padrão nacional de execução. Cada município faz ou permite fazer calçadas de diferentes formas. No intuito de ajudar os deficiente visuais achar seu caminho nelas, vemos uma proliferação do uso da placa direcional, nas novas calçadas do país, favorecendo alguns e complicando a vida de outros. Cartilhas e manuais de muitas prefeituras tem recomendado e exigido o seu uso. Queremos ressaltar aqui o bom senso ao emprego delas e alternativas interessantes para questão. Achamos interessante o emprego delas em áreas grandes, quando não temos outra linha direcional de referência. É bom não pecar por excesso!
A Norma Brasileira de Regulamentação NBR9050 estabelece medidas mínimas para a faixa de serviço da rua e de locomoção de pessoas, como pode ser visto no desenho anexo: 70cm de faixa de serviço e 120 cm de faixa de circulação de pessoas. O ideal é sempre maior se quisermos ter árvores de porte com sombreamento de calçadas. Temos visto o uso do piso direcional para deficientes visuais locadas geralmente no centro desta faixa de caminhar em calçadas muito estreitas.
Tendo em vista a dificuldade que é andar sobre este piso com estas saliências como: rolar com um carrinho de bebê ou um andador de idoso, andar segurando a mão de uma criança e mesmo de um adulto, sem pisar em cima desta textura pois ela favorece o desequilíbrio de quem anda, causando muitas torções e quedas. Postamos aqui uma solução que algumas cidades vem usando e nos pareceu muito apropriado para situação ao invés do uso das placas direcionais. Deficientes facilmente percebem a diferença de texturas no piso e nestes exemplos achamos que tudo fica bem para todos. A faixa de serviço fica bem marcada com o emprego de um material diferente ou o tratamento diferenciado de textura no acabamento delas, deixando assim a faixa de caminhar livre de saliências e obstáculos nas calçadas. Podemos marcar esta linha com o emprego de pisos de materiais diferentes e até vegetação, sempre recomendando algo que sempre ajude na permeabilidade do solo com áreas de superfície drenante.




Os exemplos abaixo, cremos que com a faixa vegetal tão marcada não teria necessidade do uso do piso direcional, pode-se sentir muito bem a demarcação da faixa de caminhar com o uso da vegetação e do piso. Não que esteja errado, mas, não necessário.



quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

CAL NO TRONCO DA ÁRVORE FAZ BEM?


Por puro desconhecimento ainda tem gente "pintando" o tronco das árvores com a cal. É um costume disseminado há bastante tem em alguns jardins. A adição de cal, que dá a tonalidade branca aos troncos, é usada para combater a proliferação de fungos. O óxido de cálcio é uma substância alcalina e corrói a parte externa da árvore. Não se sabe quem começou com essa idéia e nem quando. Talvez no intuito de passar uma aparência de higiene, sofisticação e evitar possíveis pragas. O problema é que, junto com as pragas e fungos, ele mata microorganismos essenciais para a planta, como os liquens. A cal destrói todo o ecossistema do tronco,
A idéia de se usar cal e pintar os troncos das árvores surgiu porque antigamente, na fruticultura, aplicavam esta substância, misturada a outras, como insetos e fungos. No entanto, já está provado que a simples pintura com cal não traz nenhum benefício e não tem ação nenhuma. Inclusive, não deve ser aplicada nem com função decorativa. Isso porque as sucessivas pinturas, umas sobre as outras, acabam causando o ressecamento e descascamento do tronco.
https://plantandovida.wordpress.com/…/pintar-o-tronco-das-…/
http://plantasonya.blogspot.com/…/cal-no-tronco-protege-pla…


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

CALÇADA DE CONCRETO


Muito usadas mundo à fora por sua facilidade de execução, durabilidade, baixo custo, alta resistência aos impactos e homogeneidade de acabamento, sendo a preferida das mães com carrinhos de bebês e dos dependentes físicos que usam cadeiras ou andadores para sua locomoção.
Selecionamos aqui um passo-à-passo bem simples de como fazê-las que foi muito bem colocado pela empresa QUIKRETE neste vídeo instrutivo em inglês. Confiram:
https://www.quikrete.com/a…/video-pouring-concrete-slabs.asp
INSTRUÇÕES DE PROJETO:
Quando se trabalha com produtos à base de cimento, use sempre óculos de proteção e luvas impermeáveis.
Etapa 1
Antes de colocar as formas de concreto:
Construa as formas com madeira de 5 x 10cm ou 5 x 12cm e fixe as mesmas depois no lugar com estacas de madeira e parafusos na plataforma.
Escave a área de laje, à uma profundidade de cerca de 18cm, permitindo 8cm para uma base de cascalho e 10cm para o concreto.
Etapa 2
Verifique os formulários de nível (de 1 à 3% para permitir o escoamento de água da chuva em direção a rua). Cotas de nível do pátio e da calçada devem inclinar uniformemente longe de estruturas.
Etapa 3
Espalhar uniformemente os 8 ou 10cm de cascalho em todos em todos os níveis.
Etapa 4
Compactar a base de cascalho com uma ferramenta de prensa.
DICA: uma base sólida de subsolo ajudará a evitar a erosão e a melhor sedimentação de laje.
Passo 5
Umedeça a base de cascalho usando uma mangueira de jardim para evitar o encolhimento e rachaduras, especialmente em temperaturas quentes.
Passo 6
Despeje a mistura de concreto nas pistas uniformemente deixando o topo dos montes de concretos colocados nelas, cerca de 5 à 7cm acima das formas antes do nivelamento do concreto.
Passo 7
Consolidar e distribuir o concreto uniformemente com uma enxada. A superfície do concreto deve ser relativamente plana e ligeiramente acima do nível das formas.
Passo 8
Espalhe o concreto usando uma barra de madeira de 5 X 10cm movendo ela de trás para frente em um movimento de corte para remover o excesso de concreto e alise a superfície.
Passo 9
Adicione concreto para qualquer nível onde tiver áreas baixas.
Passo 10
Uma vez que o concreto tenha perdido seu brilho, alise a superfície de concreto usando uma desempenadeira de madeira de mão em movimento de arqueamento.
NOTA: use uma vassoura de cerdas dura para criar um acabamento anti-derrapante vassoura (todos os traços de vassoura devem ser feitos na mesma direção).
Passo 11
Corte juntas de dilatação usando um ranhurador de borda reta. Uma laje de 10cm grossa exigirá juntas de no mínimo uma para cada 3,0m em cada direção.
NOTA: as juntas de dilatação devem ser cortadas um mínimo de ¼ da profundidade da laje.
Passo 12
Use uma ferramenta de metal de alisamento para consolidar e moldar as bordas da laje. Várias passagens devem ser feitas em cada direção para um acabamento liso.
Etapa 13
Recém colocado o concreto deve receber água durante um período mínimo de 3 a 5 dias para sua cura com uma névoa fina de água tipo spray.
DICA: A cura de água pode ser eliminada aplicando aditivo acrílico de concreto em spray de cura & selo imediatamente depois de terminar o concreto. Cura & selo acrílica pode ser aplicada com um rolo, pulverizador do jardim ou uma escova.